Utilize este identificador para referenciar este registo: http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/1001
Título: Canções de Embalar, Depressão Materna e Interação Precoce
Autores: Lopes, Joana Filipa Marques
Farate, Carlos (Orientador)
Vicente, Henrique (Coorientador)
Palavras-chave: Canções de embalar - Lullabies
Depressão materna - Maternal depression
Interação precoce mãe-bebé - Early mother-child interaction
Data: 2019
Editora: ISMT
Resumo: O principal objetivo deste estudo consistiu em aprofundar a investigação sobre a interação entre a prática de canções de embalar e a depressão materna na relação precoce mãe-bebé. Foram definidos os seguintes objetivos específicos: i) compreender o papel das canções de embalar na rotina do adormecer e as reações da criança e da mãe a esta prática; ii) analisar a frequência da utilização das canções de embalar e a sua relação com variáveis sociodemográficas, familiares, da gravidez e do parto; iii) perceber em que medida a depressão materna influencia esta prática de tranquilização do bebé. Este estudo integra um projeto de investigação sobre canções de embalar e interação precoce mãe-bebé que abrangeu uma amostra de 113 mães, com idades entre os 19 e 44 anos. Foi desenvolvido um protocolo de avaliação que incluiu um questionário de caracterização sociodemográfica, da gravidez e do adormecer do bebé, bem como diversos instrumentos psicométricos, entre os quais se destaca o Inventário Depressivo de Beck (BDI). Os resultados indicam que 65,5% das mães cantam canções de embalar. Destas, 64,9% iniciaram esta prática após o nascimento do bebé e 78,4% cantam canções de embalar tradicionais. As participantes cantam principalmente durante o brincar e o momento de adormecer o bebé. Esta prática encontra-se associada a sentimentos positivos como calma, tranquilidade, satisfação e bem-estar. Cantar canções de embalar parece estar relacionado com níveis de sintomatologia depressiva mais reduzidos. A prática de canções de embalar encontra relação estatisticamente significativa com variáveis da gravidez, nomeadamente qualidade da relação com o pai do bebé e o planeamento da gravidez. Relativamente à sintomatologia depressiva verificaram-se associações estatisticamente significativas com as variáveis “momento em que as mães iniciaram a prática de canções de embalar”, “situações e tipo de canções utilizadas”, e “sentimentos da mãe enquanto canta canções de embalar”. Este estudo proporciona novos dados sobre a relação entre a prática de canções de embalar e a sintomatologia depressiva, suportando investigações anteriores que indicavam que esta prática materna tem efeitos benéficos no bem-estar emocional e mental das mães, principalmente em situações de depressão materna. / The main objective of this study was to deepen the investigation on the interaction between the practice of lullabies and maternal depression in the early mother-infant relationship. The following specific objectives were defined: i) understand the role of lullabies in the routine of falling asleep and the reactions of the child and mother to this practice; ii) analyze the frequency of the use of lullabies and their relationship with sociodemographic, family, pregnancy and childbirth variables; iii) understand how maternal depression influences this practice of reassuring the baby. This study is part of a research project on lullabies and early mother-baby interaction that covered a sample of 113 mothers, aged 19 to 44 years. An assessment protocol was developed that included a questionnaire on sociodemographic, pregnancy and sleeping characteristics of the baby, as well as several psychometric instruments, including the Beck Depression Inventory (BDI). Results indicate that 65.5% of mothers sing lullabies. Of these, 64.9% started this practice after the baby was born and 78.4% sing traditional lullabies. Participants sing mainly during play and the moment of falling asleep the baby. This practice is associated with positive feelings such as calmness, tranquility, satisfaction and well-being. Singing lullabies seems to be related to lower levels of depressive symptomatology. The practice of lullabies finds a statistically significant relationship with pregnancy variables, namely the quality of the relationship with the baby's father and pregnancy planning. Regarding depressive symptomatology there were statistically significant associations with the variables “moment when the mothers started the practice of lullabies”, “situations and type of songs used”, and “mother's feelings while singing lullabies”. This study provides new data on the relationship between lullaby practice and depressive symptomatology, supporting previous research indicating that this maternal practice has beneficial effects on mothers' emotional and mental well-being, mainly in situations of maternal depression.
URI: http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/1001
Aparece nas colecções:Dissertações de Mestrado Psicologia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Canções de embalar, depressão materna e interação precoce.pdfDocumento578.58 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.