Utilize este identificador para referenciar este registo: http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/1057
Título: As redes de suporte social informal como fontes de provisão social em Portugal: o caso da população idosa
Autores: Guadalupe, Sónia
Cardoso, Júlia
Palavras-chave: Provisão social informal - Informal social provision
Estado-providência - Welfare State
Família - Family
Idosos - Elderly
Envelhecimento - Aging
Data: jan-2018
Editora: Universidade de Brasília
Citação: Guadaliupe, S., & Cardoso, J. (2018). As redes de suporte social informal como fontes de provisão social em Portugal: o caso da população idosa. Soc. estado [online]. vol.33, n.1, pp.213-248. ISSN 0102-6992. http://dx.doi.org/10.1590/s0102-699220183301009
Resumo: Os indicadores de envelhecimento na população portuguesa colocam Portugal como um dos países mais envelhecidos do mundo, sendo os idosos um grupo populacional socialmente vulnerável. A vulnerabilidade, resultante de trajetórias ao longo da vida com acúmulo progressivo de desvantagens, tem como determinantes os fortes níveis de perda de autonomia com o avançar da idade, o risco de isolamento social, o elevado risco de exclusão e de pobreza, colmatado pelo forte impacte das transferências sociais no rendimento, a par das transformações na sociedade portuguesa, particularmente na morfologia das famílias e na relação com o trabalho. Este quadro de vulnerabilidade tem encontrado resposta na expansão de políticas de bem-estar no contexto do desenvolvimento do Estado-providência, mas também na provisão informal, sobretudo das famílias. Em tempos recentes, assistimos a uma inversão na trajetória providencial por parte do Estado português, cada vez mais recuado, agudizando-se a responsabilidade familiar. O artigo apresenta uma reflexão sobre a relevância do suporte social informal na proteção social em Portugal no que concerne à população idosa, problematizando particularmente o papel providencial das famílias num contexto de austeridade, a partir de documentação e literatura produzida no e sobre o contexto social português. / Aging indicators in the Portuguese population, places Portugal as one of the most aged countries in the world, being the elderly a socially vulnerable group. The vulnerability, resulting from lifelong trajectories of progressive accumulation of disadvantages, has as determinants the strong levels of loss of autonomy with advancing age, the risk of social isolation and the high risk of social exclusion and poverty, compensated by the strong impact of social transfers on income, together with the changes in Portuguese society, particularly in the morphology of families and in labor. This vulnerability framework has been adressed with the expansion of welfare public policies, but also trough informal provision, especially by families. In more recent times, we witnessed a reversal in the providencial trajectory by the Portuguese state, increasingly retreated, accentuating the family responsibility. The article presents a reflection on the relevance of informal social support in social welfare in Portugal regarding the elderly population, particularly problematizing the providential role of families in an austerity context, based on documentation and literature produced in and about the Portuguese social context.
URI: http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/1057
ISSN: 0102-6992
Aparece nas colecções:Publicações Científicas em Serviço Social

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
2018 10.1590s0102-699220183301009 As redes de suporte social.pdfDocumento386.93 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.