Utilize este identificador para referenciar este registo: http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/1094
Título: O Mito Trágico de Salvador Dalí
Autores: Ferreira, Nuno Pinto
Farate, Carlos
Vicente, Henrique
Palavras-chave: Salvador Dalí - Salvador Dalí
Mito privado - Private myth
Angelus de Millet - Millet’s Angelus
Criança de substituição - Replacement child
Psicanálise - Psychoanalysis
Data: 31-dez-2019
Editora: ISMT
Citação: Ferreira, N., Farate, C. e Vicente, H. 2019. O Mito Trágico de Salvador Dalí. Interações: Sociedade e as novas modernidades. 37 (Dez. 2019), 108-143. DOI:https://doi.org/10.31211/interacoes.n37.2019.a5
Resumo: Este artigo propõe uma leitura crítica da autoanálise esboçada por Salvador Dalí na obra “Omito trágico do Angelus de Millet” à luz da interpretação de uma dinâmica familiar sob o primado da fantasia do infans de substituição. Sugere-se que esta narrativa, elaborada segundo o método paranoico-crítico, sobrepõe mito pessoal e ficção, alegoria omnipotente e reinterpretação delirante da saga familiar trágica, de uma díade mãe-filho permeada pela evocação histórica do “resgate” fantasmático de um irmão morto nove meses antes do seu nascimento. Foram triangulados excertos do texto sobre o Angelus, dados biográficos e aportes de Bion sobre a importância dos mitos privados na construção da identidade. Conclui-se que Dalí ensaiou a aproximação a outra dimensão do imago materno, que os outros escritos e atos autobiográficos aparentam contradizer, mais precisamente a Mãe Antígona que “en-terra” o corpo do filho in statu nascendi sob o olhar cúmplice e impotente do pai. Realça-se a importância de Gala como figura da Anunciação de destino trágico-grandioso, segundo a mística bíblica do “Filho Unigénito do Pai”, solução romanceada, de cariz surrealista e delirante, para aquela que terá sido a problemática central da sua existência, a condição de criança de substituição de um Outro temido e desconhecido. / This paper proposes a critical reading of the self-analysis outlined by Salvador Dalí in the essay “The tragic myth of Millet’s Angelus”, in the light of the interpretation of a family dynamic under the primacy of the replacement infans fantasy. It is suggested that this narrative, elaborated accordingly to the paranoiac-critical method, superimposes personal myth and fiction, omnipotent allegory and delirious reinterpretation of the tragic familial saga of a mother-child dyad permeated by the historical evocation of the phantasmatic “recovery” of a brother that died nine months before his birth. The authors triangulated selections from the dalinian text on the Angelus, biographical data and Bion’s contributions regarding the importance of private myths in the construction of identity. It is concluded that Dalí rehearses an approximation to another dimension of the maternal imago that other written autobiographical elements seem to contradict. More precisely, the Mother Antigone that “buries” the body of her in statu nascendi son under the father’s impotent and accomplice gaze. Also highlighted is the importance of Gala as a figure of the Annunciation of a tragic-grandiose destiny, according to the biblical mysticism of the “Only begot-ten Son of the Father”, a romanced solution, of surreal and delusional nature, for the prob-able central issue of his existence, the condition of replacement child of a dreaded and unknown Other.
URI: http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/1094
ISSN: 2184-2929
Aparece nas colecções:Publicações Científicas Psicologia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
O mito trágico de Salvador Dalí.pdfDocumento784.01 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.