Utilize este identificador para referenciar este registo: http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/1160
Título: Qualidade Subjetiva do Sono, Sintomas Depressivos, Sentimentos de Solidão e Institucionalização em Pessoas Idosas
Outros títulos: Subjective Sleep Quality, Depressive Symptoms, Feelings of Loneliness,and Institutionalization in Elderly People
Autores: Napoleão, Mariana
Monteiro, Bárbara
Espírito-Santo, Helena
Palavras-chave: Idosos, Sono, Depressão, Solidão, Institucionalização
Data: 30-set-2016
Editora: Departamento de Investigação & Desenvolvimento
Citação: Napoleão, M., Monteiro, B., & Espirito-Santo, H. (2016). Qualidade subjetiva do sono, sintomas depressivos, sentimentos de solidão e institucionalização em pessoas idosas. Revista Portuguesa De Investigação Comportamental E Social, 2(2), 12-24. https://doi.org/10.7342/ismt.rpics.2016.2.2.37
Relatório da Série N.º: 3;
Resumo: Objetivos: A presente investigação teve como principais objetivos descrever a qualidade subjetiva do sono e as perturbações do sono e analisar a intensidade dos sintomas depressivos e dos sentimentos de solidão em idosos institucionalizados; comparar estes dados com um grupo de idosos não institucionalizados e analisar a relação entre estas variáveis nos dois grupos. Métodos: Este estudo insere-se no Projeto Trajetórias do Envelhecimento de Idosos em Resposta Social de onde foi retirada uma amostra de cento e quarenta idosos sem défice cognitivo, com 70 institucionalizados e 70 não institucionalizados emparelhados por idade, sexo, escolaridade e estado civil. A média de idades foi de 76,58 (DP = 6,10), incluindo 104 mulheres e 36 homens. Como instrumentos foram utilizados um Questionário Sociodemográfico, o Questionário sobre o Sono na Terceira Idade, a Escala Geriátrica de depressão e a Escala de Solidão da Universidade da Califórnia, Los Angeles. Resultados: Verificou-se que os idosos institucionalizados apresentavam mais sentimentos de solidão do que os não institucionalizados. Contudo, não se verificaram diferenças entre os dois grupos em relação aos sintomas depressivos, qualidade subjetiva do sono ou perturbações do sono, com algumas exceções: os idosos residentes na comunidade mostraram ter a perceção de demorar mais tempo a adormecer, de acordar mais cedo e de ter mais pesadelos. Através de uma análise correlacional verificou-se, na amostra global, que quanto pior a qualidade subjetiva do sono mais sintomas depressivos se observavam e quanto mais sintomas depressivos, mais sentimentos de solidão, não havendo, contudo, relação entre o sono e a solidão. Conclusões: Concluímos que a situação de institucionalização se acompanha de mais sentimentos de solidão, mas não de sintomas depressivos ou de pior qualidade de sono. Por esse motivo, sugere-se que se desenvolvam programas de intervenção dirigidos à solidão em idosos institucionalizados.
URI: http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/1160
ISSN: 2183-4938
Aparece nas colecções:Publicações Científicas Psicologia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
37-Texto Artigo-175-1-10-20160930.pdf330.62 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.