Utilize este identificador para referenciar este registo: http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/386
Título: Esperança e sua relação com a Satisfação com a Vida, o Coping Resiliente, a Espiritualidade e Relações Interpessoais nos Idosos
Autores: Moreira, Ana Luísa da Silva
Palavras-chave: Envelhecimento - Ageing
Esperança - Hope
Satisfação com a vida - Satisfaction with life
Coping resiliente - Resilient coping
Espiritualidade/Religião - Spirituality/ Religion
Data: 2013
Editora: ISMT
Resumo: Introdução: A esperança é uma variável psicológica que se reveste de extrema importância para a vida humana. Apesar de a sua conceptualização ser relativamente recente na história da humanidade a sua importância para a vida humana é já reconhecida há muito tempo tal como provérbio “enquanto há vida há esperança” demonstra. Objetivos: A presente investigação tem como objetivo verificar a associação entre a esperança e as variáveis coping resiliente, espiritualidade, satisfação com a vida e satisfação com as relações interpessoais. A esperança e variáveis de caracterização sociodemográficas são igualmente objeto de análise. Metodologia: Quantitativa com planeamento descritivo-correlacional de corte transversal. Participaram 130 indivíduos (74 do sexo feminino e 56 do sexo masculino) com idades compreendidas entre os 65 e os 94 anos (M =73,34; DP = ± 6,941). Os instrumentos padronizados, em versão integral ou parcial foram os seguintes: Escala da Esperança para adultos - Escala de Futuro (Snyder et al., 1991 - Tradução e Adaptação: Pais-Ribeiro, Pedro & Marques, 2006); Coping Resiliente (Sinclair & Wallston, 2003); SWLS - (Diener, Emmons, Larsen, & Griffin, 1985 - Tradução e Adaptação: Neto, Barros, & Barros, 1990); WHOQOL – Domínio Espiritualidade/Religião/Crenças Pessoais (OMS, coordenadores portugueses: Vaz-Serra & Canavarro, 2006). A versão portuguesa das escalas utilizadas possui valores de consistência interna aceitáveis (α de Cronbach entre 0,75 e 0,92). Resultados: A escala de esperança correlaciona-se positivamente com todas as variáveis que selecionamos para a análise nesta investigação (satisfação com a vida, satisfação com as relações interpessoais, coping resiliente e crenças). É contudo de salientar que a correlação mais elevada se verifica com a satisfação com a vida r = 0,618. No que concerne à análise das características sociodemográficas com a esperança verificamos que são reportadas diferenças significativas na variável estado civil ((3, n = 130) = 9,365, p = 0,025), apresentando os casados a mediana mais elevada na Escala da Esperança, Md = 47, por sua vez a mediana mais baixa pertence aos solteiros, Md = 39). A associação entre a variável idade e a esperança é baixa tanto com a escala da esperança como com as suas dimensões (0,098 para a escala global, 0,058 para os caminhos e 0,119 para a iniciativa). Conclusões: Os aspetos emocionais são para a generalidade das pessoas componentes fundamentais quando se equaciona a respetiva qualidade de vida. É de salientar que as pessoas idosas que se encontram casadas e com uma maior satisfação com a sua vida apresentam maiores níveis de esperança. Por sua vez, as pessoas idosas que estão solteiras e as que se sentem sós apresentam menores níveis de esperança. / Introduction: Hope is an extremely important psychological variable in human life. Though the conceptualization of hope is relatively recent in human history, its importance to human life has long been recognized, as can be seen in the Portuguese proverb “where there is life there is hope”. Objectives: This aim of this study is to identify the association between hope and the variables of resilient coping, spirituality, satisfaction with life and satisfaction with interpersonal relationships. Other factors included in the analysis are hope and variables related to sociodemographic characteristics. Methodology: The methodology used was quantitative with cross-sectional, descriptive-correlational planning. There were 130 participants (74 female and 56 male) with ages ranging from 65 to 94 (M =73,34; DP = ± 6,941). The standardized instruments used, either entirely or partially, were the following: The Adult Hope Scale - The Future Scale (Snyder et al., 1991 – Translation and Adaptation: Pais-Ribeiro, Pedro, & Marques, 2006); Resilient Coping (Sinclair & Wallston, 2003); SWLS - (Diener, Emmons, Larsen, & Griffin, 1985 – Translation and Adaptation: Neto, Barros, & Barros, 1990); WHOQOL - Spirituality/Religion/ Personal Beliefs (OMS, Portuguese coordinators: Vaz-Serra & Canavarro, 2006). The Portuguese version of the scales used consists of values with an acceptable internal consistency (Cronbach’s α between 0,75 and 0,92). Results: The scale of hope shows a positive correlation with all the variables used in this study (satisfaction with life, satisfaction with interpersonal relationships, resilient coping and beliefs). It is important to highlight that the highest correlation was satisfaction with life r = 0,618. In the analysis between sociodemographic characteristics and hope, the study shows that there are significant differences in marital status ((3, n = 130) = 9,365, p = 0,025), married people showing the highest median in the Hope Scale, Md = 47, and single people showing the lowest, Md = 39). The link between the age variable and hope is low for the hope scale as well as for its measurements (0,098 for the global scale, 0,058 for the paths and 0,119 for the initiative). Conclusions: Most people consider emotional aspects to be essential aspects for determining their quality of life. It is important to highlight that elderly people who are married and who have a higher level of satisfaction with their lives also show the highest levels of hope. On the other hand, the elderly who are single and who feel lonely are the ones who show the lowest levels of hope. Key words: Ageing, Hope, Satisfaction with Life, Resilient Coping and Spirituality/ Religion.
URI: http://dspace.ismt.pt/xmlui/handle/123456789/386
Aparece nas colecções:Dissertações de Mestrado Psicologia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ficheiro_temporario.pdf2.33 kBAdobe PDFThumbnail
Ver/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.