-
Utilize este identificador para referenciar este registo: http://repositorio.ismt.pt/handle/123456789/394
Título: Saúde Mental e Redes Sociais Pessoais de Idosos
Autores: Santos, Catarina Alexandra Melo dos
Palavras-chave: Saúde Mental - Mental Health
Redes Sociais Pessoais - Personal Social Networks
Idosos - Elderly
Data: 2013
Editora: ISMT
Resumo: Objetivos: O presente estudo tem como objetivo geral analisar a associação entre características das redes sociais pessoais e a saúde mental em idosos. Metodologia: Este é um estudo descritivo, correlacional e inferencial, privilegiando a análise bivariada, com uma amostra de 317 idosos. Na recolha dos dados utilizámos o Mental Health Inventory-5 (MHI-5) (Ribeiro, 2001) para avaliar a percepção de saúde mental e ainda o Instrumento de Análise da Rede Social Pessoal (IARSP-Idosos) (Guadalupe, 2009) que permite caracterizar a rede social pessoal do individuo. Participantes: A nossa amostra é constituída por 317 idosos, com uma média de idade de 77 anos, sendo que o idoso mais novo tem 65 e o mais velho 98 anos. A maioria dos idosos tem filhos (85,8%) e vivem na sua própria casa (77,0%). A zona de residência é essencialmente rural (75,7%) e a maioria dos idosos apresenta escolaridade (66,6%), sobretudo a nível do atual primeiro ciclo do ensino básico. A maioria dos idosos não tem apoio de respostas sociais (67,2%). Resultados: Verifica-se que são os idosos do sexo masculino, casados, com escolaridade e sem apoio de respostas sociais, aqueles que apresentam uma média mais elevada de provável bem-estar psicológico. Apresentam ter também uma média mais elevada na proporção das relações familiares na rede e de percepção de apoio emocional, demonstrando estar “muito” satisfeitos com a rede social pessoal. Os idosos em provável sofrimento psicológico têm maior proporção de relações de vizinhança na rede, demonstram estar menos satisfeitos com a sua rede social e revelam menos apoio informativo percebido. Conclusões: A nossa investigação revela que a maioria dos idosos da nossa amostra apresenta uma boa saúde mental e que as redes sociais pessoais se associam a um provável bem-estar psicológico. Porém, sendo o envelhecimento uma experiência única e idiossincrática, torna-se pertinente promover e desenvolver estratégias de intervenção psicológicas para que os nossos idosos se sintam integrados socialmente e preservem a sua saúde mental e bem-estar. / Objectives: The present study aims at analyzing the association between personal characteristics of social networks and mental health. Methodology: This is a descriptive, correlational and inferential, favoring the bivariate analysis, with a sample of 317 elderly. In data collection used the Mental Health Inventory-5 (MHI-5) (Ribeiro, 2001) to assess the perception of mental health and even the Instrument of Social Network Analysis Staff (IARSP-Senior) (Guadalupe, 2009) that allows characterize the individual's personal social network. Participants: Our sample consists of 317 seniors with an average age of 77 years, and the youngest is aged 65 and the oldest 98 years. Most seniors have children (85.8%) and live in their own home (77.0%). The residential zone is largely rural (75.7%) and the majority of the elderly had schooling (66.6%), especially at the current first cycle of basic education. Most seniors do not have the support of social responses (67.2%). Results: Checks that are older, male, married, with no education and support of social responses, those with a higher average of probable psychological well-being. Have also have a higher average in the proportion of family relationships in the network and perception of emotional support, showing they are "very" satisfied with the personal social network. The elderly are more likely psychological distress proportion of neighborly relations in the network, report being less satisfied with their social network and show less perceived informational support. Conclusion: Our research shows that most elderly of our sample shows good mental health and personal social networks are associated with a probable psychological well-being. However, with aging a unique and idiosyncratic, it is pertinent to promote and develop psychological intervention strategies so that our seniors feel socially integrated and preserve their mental health and well-being.
URI: http://dspace.ismt.pt/xmlui/handle/123456789/394
Aparece nas colecções:Dissertações de Mestrado Psicologia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ficheiro_temporario.pdf2.33 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.