Utilize este identificador para referenciar este registo: http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/555
Título: O Modelo Integrativo Change & Grow: evolução de sintomas emocionais e comportamentais na perturbação da adição
Autores: Amorim, Ana Paula Almeida Silva
Cunha, Marina (Orientadora)
Palavras-chave: Dependência - Addiction
Comunidade terapêutica - Therapeutic community
Vergonha - Shame
Auto compaixão - Self-compassion
Inflexibilidade psicológica - Psychological inflexibility
Memórias precoces de calor e segurança - Early memories of warmth and safeness
Data: 2015
Editora: ISMT
Resumo: Introdução: A dependência é considerada um fenómeno complexo, inserido num contexto de igual complexidade, dada a quantidade de variáveis que nele interfere, e ao mesmo tempo, por ele influenciadas. O tratamento desta perturbação deve ser planeado tendo em consideração a singularidade e necessidades de cada paciente, não se focando apenas no tipo de substância ou problema e centrando-se efetivamente nas pessoas e na relação que estas estabelecem com o agente causador da dependência. Objetivo: O presente estudo procura avaliar e analisar a evolução de determinadas variáveis como sintomas psicopatológicos (e.g. depressão, ansiedade e stress), processos psicológicos/regulação emocional (e.g., auto compaixão e a inflexibilidade psicológica), experiências precoces na infância (memórias de calor e segurança na interação com os pais) e estados emocionais (e.g., vergonha externa e interna, autoestima, afeto positivo e afeto negativo), de pacientes em várias fases do tratamento, com diagnóstico de perturbações relacionadas com o uso de substâncias e perturbações com outras adições, perturbações de personalidade e problemas emocionais e comportamentais, que se encontram em regime de internamento em Comunidade Terapêutica. Método: A amostra do nosso estudo longitudinal foi constituída por 32 pacientes, com idades compreendidas entre os 15 e 55 anos, de ambos os sexos, em tratamento. Os pacientes preencheram uma folha de dados sociodemográficos e questionários fidedignos em dois momentos distintos, com um intervalo de cinco meses, para avaliar sintomas de psicopatologia (Depression, Anxiety, Stress Scales -DASS-21), vivências de vergonha (Internalized Shame Scale – ISS; Other as Shamer-Brief - OAS2), a inflexibilidade psicológica (Acceptance and Action Questionnaire-II -AAQ-II), a auto compaixão (Self – compassion Scale - SELFCS), afeto positivo e afeto negativo (Positive and Negative Affect Schedule –PANAS), e as memórias precoces de calor e segurança (Early Memories of Warmth and Safeness Scale - EMWS). Resultados: Os resultados obtidos indicam que, à exceção das memórias precoces de calor e segurança, houve diferenças significativas em todos os valores reportados pelos pacientes nos dois momentos. Verificou-se uma redução significativa a nível dos sintomas psicopatológicos. Relativamente aos processos de regulação emocional, verificou-se um aumento da auto compaixão e uma diminuição da inflexibilidade psicológica. Por último, verificou-se ainda uma diminuição dos estados emocionais como a vergonha externa e interna, bem como do afeto negativo, verificando-se, simultaneamente, um aumento da autoestima e do afeto positivo, após cinco meses de intervenção Conclusão: O presente estudo tem um papel inovador por abordar e dar a conhecer a intervenção com o Modelo Terapêutico Change & Grow, indicando os seus resultados efeitos promissores ao nível da mudança terapêutica. Realçamos as implicações clínicas dos resultados obtidos. O tratamento através do Modelo Terapêutico Change & Grow, por se tratar de um modelo integrativo de várias correntes da psicologia, e por conseguinte holístico, não se foca somente na abstinência de substâncias ou na diminuição da sintomatologia, mas procura promover o desenvolvimento pessoal, o crescimento interior e a mudança através da valorização pessoal, transformando estilos de vida em trajetórias individuais mais funcionais, adaptativas e equilibradas, em suma mais saudáveis. / Introduction: Addiction is considered a complex phenomenon, set within a framework of equal complexity, given the amount of variables which interfere with it, and at the same time, are influenced by it. The treatment for this disorder should be designed taking into account the uniqueness and needs of each patient, not just focusing on the type of substance or problem, but effectively targeting the people and the relationship they establish with the agent that causes the addiction. Objective: This study seeks to assess and analyse the evolution of certain variables such as psychopathological symptoms (e.g., depression, anxiety and stress), psychological processes / emotional regulation (e.g., self-compassion and psychological inflexibility), early childhood experiences (memories of warmth and safeness when interacting with parents) and emotional states (e.g., external and internal shame, self-esteem, positive affect and negative affect), on patients at various treatment stages, diagnosed with disorders related to substance use and disorders with other addictions, personality disorders and emotional and behavioural problems, who are in-patient therapeutic community. Method: The sample of our longitudinal study consisted of 32 patients, aged between 15 and 55 years, of both sexes, in treatment. Patients filled in a sociodemographic data sheet and reliable questionnaires at two distinct moments, with an interval of five months to evaluate symptoms of psychopathology (Depression, Anxiety, Stress Scales -DASS-21), shame experiences (Internalized Shame Scale – ISS; Other as Shamer-Brief - OAS2), psychological inflexibility (Acceptance and Action Questionnaire-II -AAQ-II), self-compassion (Self – compassion Scale - SELFCS), positive affect and negative affect (Positive and Negative Affect Schedule -PANAS), and early memories of warmth and safeness (Early Memories of Warmth and Safeness Scale - EMWS). Results: The results indicate that, except for the early memories of warmth and safeness, there were significant differences in all the figures reported by patients at the two moments. Psychological symptoms were significantly reduced. As far as the emotional regulation processes were concerned, self-compassion increased and psychological inflexibility decreased. Finally, there was also a decline in emotional states such as external and internal shame, as well as the negative affect, being simultaneously verified an increased self-esteem and positive affect, after five months of intervention. Conclusion: This study is groundbreaking as it addresses and raises awareness to the intervention with the Therapeutic Model Change & Grow, whose results show promising effects on the therapeutic change. We highlight the clinical implications of the results. The Therapeutic Model Change & Grow treatment, since it is an integrative model of several psychology trends, and therefore holistic, does not focus only on the abstinence from substances or the decrease of symptoms, but seeks to promote personal development, inner growth and change through personal enrichment, by modifying lifestyles into more functional, adaptive and balanced, in short, healthier individual trajectories.
URI: http://repositorio.ismt.pt/handle/123456789/555
Aparece nas colecções:Dissertações de Mestrado Psicologia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese.pdfDocumento principal754.06 kBAdobe PDFThumbnail
Ver/Abrir
Anexos.pdfAnexos614.84 kBAdobe PDFThumbnail
Ver/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.