-
Utilize este identificador para referenciar este registo: http://repositorio.ismt.pt/handle/123456789/770
Título: Atributos e Ações Compassivas: qual o seu papel nos estados afetivos, comparação e relação entre pares na adolescência
Autores: Figueiredo, Cátia Alexandra Silva
Cunha, Marina (Orientadora)
Palavras-chave: Competências compassivas - Compassionate competences
Estados afetivos - Affective states
Comparação social - Social comparison
Qualidade de vinculação aos pares - Quality of peer attachment
Adolescência - Adolescence
Data: 2017
Editora: ISMT
Resumo: O presente estudo tem como objetivo geral aprofundar o conhecimento acerca da compaixão na população adolescente. Em particular, procura avaliar as diferentes direções da compaixão (dirigida ao próprio, aos outros e alvo de compaixão por parte dos outros), explorar o possível efeito da idade e do género na manifestação de atitudes e ações compassivas, bem como analisar a sua associação com os estados afetivos, a comparação social e a vinculação aos pares. Participaram neste estudo 338 adolescentes (170 rapazes e 168 raparigas), com idades compreendidas entre os 12 e os 18 anos a frequentar o 3º ciclo do ensino básico e ensino secundário (7º ao 12ºano). Os participantes completaram um conjunto de questionários de autorresposta para avaliação das atitudes e ações compassivas (EAAC), qualidade da vinculação aos pares (AQ-C), estados afetivos (PANAS), e comparação social com os pares (SCS-A). Os resultados mostraram que a idade não evidenciou qualquer associação significativa com a autocompaixão, compaixão pelos outros e compaixão recebida dos outros. Em relação ao género, verificou-se que as raparigas dispõem de mais atributos autocompassivos e manifestam mais atributos e ações compassivas pelos outros, do que os rapazes. Já em relação à situação de ser alvo de compaixão por parte dos outros, não se verificaram diferenças significativas entre rapazes raparigas no que respeita aos atributos e ações compassivas. Verificaram-se correlações significativas e no sentido esperado entre a autocompaixão, a compaixão dirigida aos outros e recebida dos outros e as variáveis em estudo (tipo de afeto, comparação social e o estilo de vinculação). Especificamente, o afeto positivo, a comparação positiva com os pares e o estilo de vinculação segura revelaram uma associação positiva com as ações e atributos compassivos nas suas diversas direções. Por sua vez, o afeto negativo exibiu uma correlação negativa com as ações compassivas nas três direções analisadas, e com os atributos compassivos apenas na avaliação de receber compaixão por parte dos outros. O estilo de vinculação inseguro evitante mostrou uma associação negativa com as ações e os atributos compassivos nas diferentes direções avaliadas. Por último o estilo de vinculação inseguro ambivalente revelou uma correlação negativa significativa com as ações compassivas dirigidas ao próprio e enquanto alvo de compaixão por parte dos outros, bem como com os atributos compassivos relativos à escala de receber compaixão dos outros. Em conclusão, a presente investigação contribui para explorar padrões de associação entre as diversas formas de compaixão e variáveis relacionadas com o afeto, comparação social e qualidade da ligação com os pares, controlando ainda o possível efeito da idade e género na população de adolescentes da comunidade. Partindo destes resultados, é possível inferir a importância de estimular uma mente compassiva nos adolescentes já que a presente investigação apontou uma associação positiva entre a compaixão e variáveis indicadoras de um bom funcionamento emocional e psicológico. / The main purpose of the present study is to expand knowledge about compassion in the adolescent population. In particular, it seeks to evaluate the different directions of compassion (self-compassion, compassion towards and from others), to explore the possible effect of age and gender on the expression of compassionate attitudes and actions, as well as to analyze their association with affective states, social comparison and attachment to peers. A total of 338 adolescents (170 boys and 168 girls), aged between 12 and 18 years, attending the 3rd cycle of basic education and secondary education (7th to 12th) participated in the study. Participants completed a set of self-response questionnaires to assess compassionate attitudes and actions (EAAC), quality of attachment to peers (AQC), affective states (PANAS), and social comparison with peers (SCS-A). The results showed that age did not reveal any significant association with selfcompassion, compassion for others, and compassion received from others. Regarding gender, it has been found that girls have more self-compassion attributes and express more compassionate attributes and actions towards others than boys. As for receiving compassion from others, there were no significant differences between boys and girls, in regard to compassionate attributes and actions. Significant correlations, in the expected direction, were found between selfcompassion, compassion towards and received from others, and the variables being studied (type of affection, social comparison and type of attachment). Specifically, positive affect, positive comparison with peers, and the safe attachment type revealed a positive association with compassionate actions and attributes in their various directions. Negative affection, in turn, exhibited a negative correlation with compassionate actions in the three directions analyzed, and with compassionate attributes only in the evaluation of receiving compassion from others. The insecure/avoidant attachment style displayed a negative association with compassionate actions and attributes in the different directions evaluated. Ultimately, the unsafe/ambivalent attachment type revealed a significant negative correlation with self-directed compassionate actions and as a target of compassion, as well as with the compassionate attributes regarding the scale of receiving compassion from others. In conclusion, the present research contributes to explore patterns of association between the various forms of compassion and variables related to affection, social comparison and quality of attachment to peers, also controlling the possible effect of age and gender on adolescents in the community. Based on these results, it is possible to infer the importance of stimulating a compassionate mind in adolescents, as the present investigation pointed towards a positive association between compassion and variables suggestive of good emotional and psychological functioning.
URI: http://repositorio.ismt.pt/handle/123456789/770
Aparece nas colecções:Dissertações de Mestrado Psicologia



Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.