Utilize este identificador para referenciar este registo: http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/992
Registo completo
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorFerreira, Inês Ministro-
dc.contributor.authorGalhardo, Ana (Orientadora)-
dc.date.accessioned2020-01-07T09:43:12Z-
dc.date.available2020-01-07T09:43:12Z-
dc.date.issued2019-
dc.identifier.urihttp://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/992-
dc.description.abstractIntrodução: A insuficiência renal corresponde ao estado patológico em que os rins são incapazes de cumprir as suas funções de eliminação de resíduos, regular o meio interno e sintetizar substâncias. Esta pode assumir uma forma crónica acarretando consequências psicológicas e um impacto relevante na vida dos pacientes. Objetivos: Este estudo teve como objetivo abordar variáveis de natureza psicológica como os sintomas de depressão e a qualidade de vida, procurando explorar o papel de processos de regulação emocional (fusão cognitiva associada à doença crónica, autocompaixão, autojulgamento, e inflexibilidade psicológica) e da vergonha associada à doença crónica, em pessoas com diagnóstico de insuficiência renal crónica (IRC). Foi ainda objetivo da investigação a avaliação das áreas de vida afetadas pela doença. Método: 62 indivíduos com o diagnóstico de insuficiência renal crónica foram recrutados através da Associação Portuguesa de Insuficientes Renais. Os participantes procederam ao preenchimento online de um conjunto de instrumentos de autorresposta: Escalas de Ansiedade, Depressão e Stress (EADS-21), o WHOQOL-bref, a Cognitive Fusion Questionnaire – Chronic Illness (CFQ-CI), a Self-Compassion Scale (SCS), o Questionário de Aceitação e Ação II (AAQ-II) e Chronic Illness Shame Scale (CISS). Resultados: Os resultados do presente estudo mostraram que 42% dos participantes apresentam sintomatologia depressiva, tendo esta como preditores a vergonha associada à doença crónica e o processo de regulação emocional de fusão cognitiva. Relativamente à qualidade de vida os resultados indicam que é a vergonha associada à doença crónica que se mostra como o principal preditor para uma menor qualidade de vida. Por último, no que se refere às áreas de vida que os sujeitos com IRC classificam como sendo as mais afetadas, podemos mencionar as áreas de Estudos/Trabalho e das Relações Amorosas. Conclusão: Apesar de algumas limitações, como o número limitado de participantes, o estudo possibilitou a identificação de fatores preditores da depressão e de uma menor qualidade de vida, apontando para a utilidade da avaliação e abordagem terapêutica, quer da fusão cognitiva, quer da vergonha, em intervenções psicológicas dirigidas a pessoas com IRC. / Introduction: Renal failure refers to the pathological state in which the kidneys are unable to perform their waste disposal functions, regulate the internal environment and synthesize substances. In its chronic form this disease presents psychological consequences as well as a relevant impact in the patients’ lives. Objectives: This study aimed to address psychological variables such as depression symptoms and quality of life, seeking to explore the role of emotional regulation processes (cognitive fusion associated with chronic illness, self-compassion and selfjudgment, and psychological inflexibility) and shame associated with chronic disease in people diagnosed with chronic kidney disease. The aim of the investigation was also the evaluation of the living areas affected by the disease. Method: 62 subjects diagnosed with chronic kidney disease were recruited through the Associação Portuguesa de Insuficientes Renais. Participants completed online set of selfreport instruments namely the Depression Anxiety and Stress Scales (DASS – 21), the WHOQOL-bref (quality of life), the Cognitive Fusion Questionnaire - Chronic Illness (CFQ-CI), the Self-Compassion Scale (SCS), the Acceptance and Action Questionnaire II (AAQ-II), and the Chronic Illness-related Shame Scale (CISS). Results: 42% of participants showed depressive symptoms with shame associated with chronic disease and cognitive fusion being the predictors for these symptoms. Regarding quality of life, results indicate that shame associated with chronic disease appears to be the main predictor for a lower quality of life. Finally, concerning life areas, chronic kidney patients pointed the Studies/Work and Love Relationships areas as the most affected ones. Conclusion: Despite some limitations, such as the small sample size, the study allowed to identify predictors of depression and lower quality of life of these patients, suggesting the usefulness of the assessment and therapeutic approach of both cognitive fusion and shame in psychological interventions targeting people with chronic renal failure.pt_PT
dc.language.isoporpt_PT
dc.publisherISMTpt_PT
dc.subjectDoença crónica - Chronic illnesspt_PT
dc.subjectInsuficiência renal crónica - Chronic kidney diseasept_PT
dc.subjectDepressão - Depressionpt_PT
dc.subjectQualidade de vida - Quality of lifept_PT
dc.subjectVergonha - Shamept_PT
dc.subjectProcesso de regulação emocional - Emotion regulation processespt_PT
dc.titleAspetos Cognitivos e Emocionais em Pessoas com Diagnóstico de Insuficiência Renal Crónicapt_PT
dc.typemasterThesispt_PT
dc.Orientadorpt_PT
dc.identifier.tid202316173pt_PT
Aparece nas colecções:Dissertações de Mestrado Psicologia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese Inês Ministro.pdfDocumento principal721.6 kBAdobe PDFVer/Abrir
Anexos Tese.pdfAnexos311.34 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.