Utilize este identificador para referenciar este registo: http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/1258
Título: Avaliação de Aspetos Psicológicos em Tempos de Pandemia COVID-19: preocupações, stress e estilo ruminativo
Autores: Trindade, Marta Neves
Cunha, Marina (Orientadora)
Palavras-chave: Covid-19 - Covid-19
Preocupações e receios - Concerns and fears
Stress - Stress
Ruminação - Rumination
Saúde mental - Mental health
Data: 2020
Editora: ISMT
Resumo: Introdução: A atual situação pandémica, que tem por base o novo coronavírus (SARS- CoV-2), despoletou um período crítico e nunca vivido, que mudou a vida da população, tendo já infetado, até à data, cerca de 35 milhões de pessoas. A experiência de confinamento social e de quarentena apesar de benéfica para a saúde pública, tem vindo a ser descrita como prejudicial para a saúde mental. Objetivos: Descrever variáveis contextuais resultantes da pandemia (e.g., condição laboral, situação de quarentena/confinamento, possibilidade de estar infetado, presença de fatores de risco, tempo de confinamento); identificar as principais preocupações associadas à COVID-19 e eventuais diferenças em função do sexo e de variáveis contextuais; analisar o nível de stress percecionado e o estilo ruminativo dos participantes, bem como analisar de que forma podem estar associados a preocupações específicas com a COVID-19. Método: A amostra é constituída por 716 participantes com idades compreendidas entre os 18 e os 76 anos. Os dados foram recolhidos em março de 2020 (1º estado de emergência declarado em Portugal) através da plataforma Google Docs. A informação recolhida incluiu dados sociodemográficos, questões fechadas e uma aberta relacionadas com a COVID-19 (e.g., preocupações/ameaças laborais, sociais, financeiras, familiares, de saúde), bem como os níveis de stress e ruminação avaliados por questionários de autorresposta. Os dados foram tratados quantitativamente e qualitativamente. Resultados: Os medos ou preocupações relacionadas com a COVID-19 mais reportados foram as consequências financeiras e o receio de infetar os outros. Verificaram-se algumas diferenças em função do género, revelando o sexo feminino valores mais elevados de preocupações. Os indivíduos em confinamento (em casa há mais de um dia) apresentaram valores mais elevados nos medos/preocupações, do que os que se mantiveram a trabalhar. O principal foco de preocupação dos participantes recaiu na instabilidade económica associada ao desemprego e ao impacto social, bem como a sensação de ameaça ou incerteza relativa a futuro. As mulheres manifestaram níveis mais elevados de stress e de ruminação. Adicionalmente, os participantes que se encontravam a trabalhar ou a estudar em casa apresentaram valores mais elevados de ruminação, assim como aqueles que se encontravam sob suspeita de estar infetados. Conclusão: Este estudo realça a necessidade de se estar atento aos efeitos que esta pandemia pode ter na saúde mental de toda a população. Considera-se que é prioritária a continuação da monitorização de alguns indicadores psicológicos, tal como, desenvolver programas que permitam prevenir ou diminuir sintomas de mal-estar psicológico. / Introduction: The current pandemic, based on the new coronavirus (SARS-CoV-2), has triggered a critical and never experienced period, which has changed the life of the population, having already infected until the date this study is being written above 35 million people. The experience of social confinement and quarantine, although beneficial to public health, has been described as detrimental to one’s mental health. Objectives: To describe contextual variables resulting from the pandemic (e.g., employment situation, quarantine/confinement, possibility of being infected, presence of risk factors, confinement period); to identify the main concerns related to COVID-19 and any gender differences and contextual variables; to analyze the level of perceived stress and the ruminative style of the participants, as well as to analyze how they may be associated with specific concerns about COVID-19. Method: The sample consists of 716 participants aged between 18 and 76 years. The data was collected in March 2020 (first state of emergency declared in Portugal) through Google Docs platform. The gathered information included sociodemographic data, multiple closed questions and one open question related to COVID-19 (e.g. labor, social, financial, familiar, health concerns/menaces), as well as stress levels and rumination evaluated by self-response questionnaires. The data were treated quantitatively and qualitatively. Results: The most reported fears or concerns related to COVID-19 were fear of financial consequences and the fear of infecting others. There were some differences according to gender, revealing higher values of concern for females. Those in confinement (at home for more than a day) had higher values of fears/concerns than those who continued to work. The main focus of concern for participants was the lack of financial stability associated with unemployment and economic impact, as well as the feeling of menace or uncertainty regarding the future. Women manifested higher levels of stress and rumination. Additionally, participants who were working or studying from home showed higher values of rumination, as well as those who were under suspicion of being infected. Conclusion: This study highlights the need of being aware of the effects that this pandemic can have on the mental health of the entire population. It is considered a priority to continue monitoring some psychological indicators, such as developing programs that allow to prevent or reduce symptoms of psychological malaise.
URI: http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/1258
Aparece nas colecções:Dissertações de Mestrado Psicologia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese Marta Neves nº 10497.pdfDocumento1.15 MBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.