Utilize este identificador para referenciar este registo: http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/1367
Título: Ajustamento Diádico em Casais com Infertilidade a Realizar Tratamento Médico e Candidatos a Adoção
Autores: Martins, Mariana Morais
Galhardo, Ana (Orientadora)
Palavras-chave: Infertilidade - Infertility
Adoção - Adoption
Ajustamento diádico - Dyadic adjustment
Saúde mental - Mental health
Processos de regulação emocional - Emotion regulation processes
Data: 2021
Editora: ISMT
Resumo: Introdução: A infertilidade é uma condição que causa impacto a nível pessoal, social, financeiro e conjugal. A maioria dos casais submete-se a tratamentos médicos, no entanto, ou porque estes não têm sucesso, ou por outras razões, têm também a opção de adotar. Independentemente da escolha do casal para a concretização do seu desejo parental, bons níveis de ajustamento diádico são importantes para lidar com os desafios inerentes à escolha. Objetivos: Averiguar a existência de diferenças entre um grupo de casais com infertilidade a realizar tratamento (GI) e um grupo de casais candidatos à adoção (GA) no que se refere a variáveis demográficas, clínicas, de saúde mental, ajustamento diádico e regulação emocional. Adicionalmente, procurou-se explorar quais destas variáveis atuavam como preditores do ajustamento conjugal. Metodologia: O recrutamento dos participantes foi realizado através da Associação Portuguesa de Fertilidade, e do Instituto de Segurança Social. Participaram 67 casais no GI e 59 casais no GA. Todos eles preencheram um questionário sociodemográfico e um conjunto de instrumentos de autorresposta, mais precisamente a Positive and Negative Affect Schedule, a Others as Shamer, a Self-Compassion Scale e a Dyadic Ajustment Scale. O papel preditor das variáveis no ajustamento diádico dos dois grupos foi analisado através de regressões lineares múltiplas. Resultados: Os casais do GI, quando comparados com os casais do GA, apresentaram níveis mais elevados de afeto negativo e autojulgamento e níveis mais baixos de afeto positivo, de autocompaixão e de ajustamento diádico. No GI a vergonha externa foi o único preditor significativo do ajustamento diádico, enquanto no GA foram o afeto positivo e negativo os preditores desta variável. Discussão: Atendendo a que o ajustamento diádico se constitui como um elemento importante nos casais que enfrentam um diagnóstico de infertilidade e as exigências do tratamento médico ou de um processo de candidatura a adoção, o conhecimento dos seus preditores é relevante. Assim, intervenções que visem a diminuição dos níveis de vergonha em casais a realizar tratamento médico de infertilidade e abordem os níveis de afeto em casais candidatos a adoção, podem potenciar o ajustamento diádico. / Introduction: Infertility is a medical condition with impact on a personal, social, financial and marital level. Most couples undergo medical treatments, however, either because these are not successful or for any other reason, they also have the option to pursue adoption. Regardless of the couple's choice to fulfill their wish for a child, good levels of dyadic adjustment are important to deal with their choice inherent challenges. Objectives: To investigate the existence of differences between a group of couples with infertility undergoing treatment (GI) and a group of couples pursuing adoption (GA) regarding demographic, clinical, mental health, dyadic adjustment and emotion regulation. Additionally, the predictive role of these variables on marital adjustment was explored. Methodology: Participants were recruited through the Associação Portuguesa de Fertilidade and the Instituto de Segurança Social. Sixty-seven couples participated in the GI and 59 couples in the GA. All of them completed a sociodemographic questionnaire and a set of self-report instruments, more precisely the Positive and Negative Affect Schedule, the Others as Shamer, the Self-Compassion Scale and the Dyadic Adjustment Scale. The predictive role of these variables on the dyadic adjustment of the two groups was analyzed using multiple linear regression analyses. Results: The GI couples, compared to the GA couples, showed higher levels of negative affect and self-judgment and lower levels of positive affect, self-compassion and dyadic adjustment. In the GI, external shame was the only significant predictor of dyadic adjustment, while in the GA, positive and negative affect were the predictors of this variable. Discussion: Dyadic adjustment is an important component for couples facing an infertility diagnosis and the demands of medical treatment or an adoption application. Therefore, knowing dyadic adjustment predictors may be relevant. Interventions aimed at reducing shame levels in couples undergoing medical treatment for infertility and addressing the positive and negative affect levels in couples applying for adoption can enhance dyadic adjustment.
URI: http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/1367
Aparece nas colecções:Dissertações de Mestrado Psicologia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese final_Mariana_Martins.pdfDocumento298.55 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.