Utilize este identificador para referenciar este registo: http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/888
Título: Salvador Dali e o Mito da Criança Neo-nascida: contribuições a partir de Bion
Autores: Ferreira, Nuno Miguel Pinto
Vicente, Henrique (Orientador)
Palavras-chave: Criança neo-nascida - Neo-born child
Mito privado - Private myth
Mito trágico do Angelus de Millet - Tragic myth of Millet’s Angelus
Salvador Dali - Salvador Dali
Data: 2013
Editora: ISMT
Resumo: “O mito trágico do Angelus de Millet” é um texto edificado por Dalí na década de 1930, onde formula a hipótese que no “Angelus” de Millet estaria representado o grande tema mítico da morte do filho. Tendo em conta a conceptualização de Bion dos mitos privados, sobretudo na possibilidade de constituírem-se como modelo de crescimento mental e aquisição de saber, colocou-se a hipótese que Dalí estaria a retratar a sua condição de criança neo-nascida, cujo nascimento surge do desejo dos pais em geral, e da mãe em particular, de substituir um filho morto prematuramente. Subdividiu-se o presente trabalho em três fases: descrição de aspetos desenvolvimentais, educacionais e relacionais de Salvador Dalí, recorrendo a biografias e textos autobiográficos; exploração e recolha de trechos do ensaio “O mito trágico do Angelus de Millet”; triangulação dos dados recolhidos com as investigações realizadas sobre o fenómeno das crianças neo-nascidas e com a teoria do pensamento de Bion, procurando as pontes de contacto que confirmem ou infirmem a hipótese do mito enunciado por Dalí consistir numa tentativa de (re)construção da sua própria narrativa e explorar os seus conflitos internos. Verificaram-se intersecções entre o mito daliniano e aspetos desenvolvimentais do autor. Em primeiro lugar, este texto surge após o início da relação com Gala, cuja presença parece promover em Dalí a capacidade de pensar as memórias mais problemáticas da sua infância. Em segundo, ao colocar a tónica na relação mãe-filho, o enredo mítico contrasta com os textos autobiográficos, nos quais é enfatizada a figura paterna. Por último, neste texto Dalí parece aproximar-se da sua trágica existência, revelando capacidade de pensar dimensões vivenciais até ao momento não exploradas, mas recua perante a revelação da tragédia, o que poderá indiciar processos normativos de resistência e a incognoscibilidade da verdade. “O mito trágico do Angelus de Millet” revelaria uma dinâmica familiar similar às descritas três décadas depois pelos investigadores, sobretudo no que respeita ao ambiente familiar focado no passado, luto pseudo-resolvido da mãe e omnipresença do irmão morto. A presença de Gala parece sobrepor-se a esta vivência fúnebre e revela-se preponderante em diversas dimensões da vida de Dalí, promovendo a capacidade de pensar e sonhar, de construir um mito privado cuja finalidade seria estabelecer o contacto com os pais reais, nomeadamente, a relação claustrofóbica e intoxicada com a mãe. / “The tragic myth of Millet’s Angelus” is a text written by Dalí in the 1930s, in which he formulates the hypothesis that the “Angelus” by Millet represented the mythical theme of the son’s demise. Taking into account Bion’s conceptualization of private myths as a model of mental growth and acquisition of knowledge, the author formulated the hypothesis that Dalí was actually portraying his condition as a neo-born child, whose birth reflects the desire of parents in general, and mothers in particular, to replace a dead child. This work was divided into three phases: description of developmental, educational and relational aspects of Salvador Dalí’s life, using biographies and autobiographies; in-depth exploration and collection of excerpts from the essay “The tragic myth of Millet 's Angelus”; triangulation of data collected with investigations regarding the phenomenon of replacement children and Bion’s aforementioned theory, with the aim of confirming or infirming the hypothesis that the myth enunciated by Dalí consisted in an attempt to (re)construct his own narrative and explore inner conflicts . There were intersections between the dalinian myth and several developmental events. Firstly, this text appears after the beginning of his relationship with Gala, whose presence seems to promote the ability to think about the more painful memories of his childhood. Secondly, by focusing on the mother-child relationship, the mythical plot contrasts with autobiographical records that emphasize the paternal figure. Finally, in this text Dalí seems closer to his tragic existence, revealing the capacity to think experiential dimensions unexplored to that moment, but hesitates before the revelation of the tragedy, which could reveal normal processes of resistance and the unknowable or ultimate truth. “The tragic myth of Millet’s Angelus” seems to reveal family dynamics similar to those described by scholars of the replacement child phenomenon three decades later, especially a family environment focused on the past, unresolved mourning by the mother, and ubiquity of the dead brother. The presence of Gala seems to overlap this funereal experience, achieving predominance in different dimensions of Dalí’s life, and fostering his ability to think and dream, to build a private myth whose purpose was to establish contact with the real parents, particularly the claustrophobic and intoxicated relationship with the mother.
URI: http://repositorio.ismt.pt/handle/123456789/888
Aparece nas colecções:Dissertações de Mestrado Psicologia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Salvador Dalí e o mito da criança neo-nascida- Contribuições a partir de Bion.pdf771.57 kBAdobe PDFThumbnail
Ver/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.