Utilize este identificador para referenciar este registo: http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/100
Título: Institucionalização do Défice
Autores: Fernandes, Vanessa
Daniel, Fernanda (Orientadora)
Palavras-chave: Rastreio cognitivo - Tracing seniors cognitively, Idosos - Elderly, Institucionalização - Institutionalization, Défice cognitivo - Cognitive impairment
Data: 2012
Editora: ISMT
Resumo: Esta investigação objetiva rastrear cognitivamente as pessoas idosas que se encontram sob resposta social, Centro de Dia e Lar de Idosos, no concelho de Miranda do Corvo e utiliza como instrumentos de rastreio o Mini Mental State Examination (MMSE) e o Montreal Cognitive Assessment (MoCA). Concomitantemente esta investigação propõe-se relacionar três itens do domínio da linguagem, propostos por nós, com as habilitações. A população que frequenta as instituições investigadas, 224 pessoas com idades 65 anos, apresenta as seguintes características sociodemográficas: 179 mulheres (79,9%), média de idades de 83,76 anos ( = ±7,29) sendo que 93 (41,5%) não possuem qualquer grau de escolaridade. A avaliação efetuada, durante o período de 19 de Dezembro de 2011 a 7 de Maio de 2012, evidencia que as pessoas que frequentam/residem estas/nestas respostas sociais apresentam elevados níveis de défice cognitivo quando comparadas com a população inquirida no “Estudo do Perfil do Envelhecimento da População Portuguesa” (2010). A diferença mostrou ser estatisticamente significativa independentemente de se utilizarem as referências para cortes etários de 65, de 65-74 ou de 75 anos de idade. Segundo os resultados obtidos através da administração do MMSE verificamos que dos 144 inquiridos 55 (38,2%) têm défice cognitivo. Se acrescentarmos a estes inquiridos os restantes utentes/clientes com diagnóstico de demência reportado nos processos individuais e confirmado através de sintomatologia tanto por nós como pela equipa técnica dos equipamentos esta percentagem sobe para 135 pessoas, ou seja, 135 (60,3%) das pessoas nestas respostas sociais. Na avaliação efetuada através do MoCA verificamos que 140 (97,2%) dos idosos têm défice cognitivo. Se acrescentarmos a estes inquiridos os restantes utentes/clientes com diagnóstico de demência esta percentagem sobe para 220 pessoas, ou seja, 98,2% das pessoas nestas respostas sociais. Os resultados obtidos, independentemente da magnitude da diferença avaliativa nos dois instrumentos utilizados, facto que consideramos não ser alheio às características sociodemográficas da coorte geracional que frequenta este tipo de respostas, atestam a prevalência do défice cognitivo nas instituições que acolhem pessoas idosas. Assim, propomos que as respostas sociais implementem programas de estimulação cognitiva para a conservação e melhoria das capacidades cognitivas dos idosos. / This investigation aims to track cognitively older people who are under social response, Day Centre and Home for the Aged, in the municipality of Miranda do Corvo and used as screening tools for the Mini Mental State Examination (MMSE) and the Montreal Cognitive Assessment (MoCA). Concomitantly this research proposes three items relate domain language, proposed by us, with qualifications. The people who attend the institutions surveyed, 224 people aged ≥ 65 years, presents the following sociodemographic characteristics: 179 women (79.9%), mean age of 83.76 years (σ = ± 7.29) being 93 (41.5%) do not have any schooling. The assessment carried out during the period from 19 December 2011 to May 7 2012, shows that people who attend / they reside / these social responses show high levels of cognitive impairment when compared with the population surveyed in the "Study Profile Aging of the Population Portuguese "(2010). The difference proved to be statistically significant regardless of whether the reference to use of cuts age ≥ 65, ≥ 75 or 65-74 years old. According to the results obtained by administering the MMSE found that 55 of the 144 respondents (38.2%) had cognitive impairment. If we add to these the remaining respondents users / clients with dementia reported in individual cases and confirmed by symptoms both by us and by the technical team of equipment that percentage goes up to 135 persons, ie, 135 (60.3%) of people in these social responses. In the evaluation conducted by MoCA found that 140 (97.2%) of the elderly have cognitive impairment. If we add to these the remaining respondents users / clients diagnosed with dementia this percentage rises to 220 people, or 98.2% of the people in these social responses. The results, regardless of the magnitude of the difference in the two evaluative instruments used, that we consider not to be oblivious to the sociodemographic characteristics of the generational cohort that attends this type of answers, attest to the prevalence of cognitive impairment in institutions for elderly people. Thus, we propose that the answers implement social cognitive stimulation programs for the conservation and improvement of cognitive abilities of the elderly.
URI: http://repositorio.ismt.pt/handle/123456789/100
Aparece nas colecções:Dissertações de Mestrado Psicologia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Vanessa Fernandes__tese final.pdf852.6 kBAdobe PDFThumbnail
Ver/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.