Utilize este identificador para referenciar este registo: http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/583
Título: Configuração Familiar, Perceção de Funcionamento Familiar e Autoconceito Adolescente: estudo exploratório sobre a perceção de funcionamento familiar e autoconceito do filho adolescente em famílias nucleares intactas, monoparentais, reconstituídas e alargadas
Autores: Almeida, Inês Isabel Jorge de
Sequeira, Joana (Orientadora)
Palavras-chave: Adolescência - Adolescence
Configuração familiar - Family configuration
Funcionamento familiar - Family functioning
Autoconceito - Self-concept
Data: 2014
Editora: ISMT
Resumo: Tendo em conta as alterações que se observam atualmente na estrutura e nas configurações familiares, tem sido questionado o impacto que estas alterações têm no funcionamento da família e no autoconceito dos adolescentes. O presente estudo tem como objetivo analisar como se relacionam, em distintas configurações familiares, a perceção dos adolescentes e seus pais sobre o tipo de funcionamento familiar e o autoconceito dos filhos adolescentes. Participaram neste estudo 70 agregados familiares, representados por 70 filhos adolescentes, 67 mães e 40 pais. Foi aplicada a Escala de Avaliação da Adaptabilidade e Coesão Familiar II (FACES II) à díade parental e ao filho para avaliar a perceção de funcionamento familiar e a Piers-Harris Children’s Self-Concept Scale 2 (PHCSCS-2) para avaliar o autoconceito dos filhos adolescentes. Não foram observadas diferenças estatisticamente significativas nas configurações familiares face ao funcionamento familiar percebido, à excepção da perceção de funcionamento familiar do adolescente que é em regra mais negativa do que a dos pais. No entanto, as famílias nucleares intactas revelaram scores de coesão e adaptabilidade médios mais satisfatórios comparativamente com as famílias de outras configurações (incluem-se as monoparentais, as reconstituídas e as alargadas). O autoconceito parece variar nas várias configurações familiares, sendo que são os adolescentes das famílias nucleares intactas que têm perceção de autoconceito superior. Constatou-se, ainda, a existência de associação entre a perceção de funcionamento familiar e o autoconceito do adolescente, no sentido em que quanto mais funcional a família se perceciona, melhor o autoconceito do filho adolescente. Realça-se a pertinência de promoção de intervenções no sentido de potenciar a resiliência individual e familiar perante as adversidades, nomeadamente, as transições familiares. / Bearing in mind the current changes in family structures and configurations, questions have been raised as to how these changes have impacted on the functioning of families and on the adolescents’ self-concept. The aim of this study is to examine how the perception that adolescents and their parents, as part of different family configurations, have on the type of family functioning relates to the self-concept of adolescents or adolescent children. This study involved 70 households represented by 70 adolescents, 67 mothers and 40 fathers. We applied the Family Adaptability and Cohesion Evaluation Scale II (FACES II) to the combination parent and child to assess the perception of family functioning, and the Piers-Harris Children’s Self-Concept Scale 2 (PHCSCS-2) to assess the self-concept of adolescents. No statistically significant differences were observed in the family configurations based on the perceived family functioning, with the exception to how the adolescent perceives the family functioning, which is usually more negative than that of the parents. Nevertheless, the average cohesion and adaptability scores of the unbroken nuclear families were more satisfactory compared to those of families with different configurations (that includes single parent families, reconstituted families, and extended families). The self-concept seems to vary in the different family configurations, with adolescents from unbroken nuclear families having a higher self-concept perception. It also became evident that there was an association between the perceived family functioning and the self-concept of the adolescent, in the sense that the more the family perceives itself as being functional, the better the self-concept of the adolescents. This study stresses the relevance of promoting interventions to encourage individual and family resilience to respond to adversities, in particular family transformations.
URI: http://repositorio.ismt.pt/handle/123456789/583
Aparece nas colecções:Dissertações de Mestrado Psicologia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Inês de Almeida.pdf828.02 kBAdobe PDFThumbnail
Ver/Abrir
Apêndices da dissertação de Inês de Almeida.pdf1.03 MBAdobe PDFThumbnail
Ver/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.