-
Utilize este identificador para referenciar este registo: http://repositorio.ismt.pt/handle/123456789/790
Título: Autocriticismo, Vergonha e Sintomas Psicopatológicos em Mulheres Institucionalizadas com Esquizofrenia: estudo preliminar
Autores: Queiroz Garcia, Inês (Coorientadora)
Sério, Carla Alexandra Madeira
Espirito-Santo, Helena (Orientadora)
Palavras-chave: Esquizofrenia - Schizophrenia
Sintomas psicopatológicos - Psychopathological symptoms
Autocriticismo - Self-criticism
Vergonha - Shame
Data: 2017
Editora: Departamento de Investigação & Desenvolvimento do Instituto Superior Miguel Torga
Citação: Madeira Sério, C. A. (2017). Autocriticismo, vergonha e sintomas psicopatológicos em mulheres institucionalizadas com esquizofrenia: estudo preliminar. (Orientadora: Helena Espírito Santo; Coorientadora Inês Queiroz Garcia). Dissertação de mestrado, Instituto Superior Miguel Torga, Coimbra
Resumo: Objetivo: Verificar quais as variáveis sociodemográficas (idade, estado civil e escolaridade) e clínicas (anos de internamento, síndromes na esquizofrenia e estado da doença) que têm influência nos sintomas psicopatológicos, no autocriticismo e na vergonha externa; explorar a relação entre a vergonha externa, as formas de autocrítica e os sintomas psicopatológicos numa amostra com diagnóstico de esquizofrenia; e verificar se a autocrítica, especialmente o Eu Detestado e o Eu Inadequado, medeiam a relação entre os sintomas psicopatológicos e a vergonha externa. Método: Fizeram parte da amostra final 41 mulheres institucionalizadas com diagnóstico de Esquizofrenia, com uma média de idades de 54,10 anos (DP = 11,12), da Casa de Saúde Bento Menni e da Casa de Saúde Rainha Santa Isabel avaliadas através da Mini International Neuropsychiatric Interview, do Inventário de Sintomas Psicopatológicos, da Escala das Formas de Autocriticismo e de Autotranquilização e da Escala da Vergonha Externa. Resultados: Nos sintomas psicopatológicos somente a Depressão, a Ideação Paranoide e o Índice Geral de Sintomas (IGS) variaram em função dos anos de internamento, com as pontuações superiores a ocorrerem entre os 6 e os 10 anos de internamento. A Sensibilidade Interpessoal variou em função das síndromes na esquizofrenia, tendo os doentes com esquizofrenia do tipo II pontuações mais altas. No autocriticismo somente o Eu Tranquilizador variou em função dos anos de internamento, com as pontuações superiores a ocorrerem entre os 11 e os 40 anos de internamento. Na vergonha externa somente as subescalas Inferioridade e Vazio/Oco e a OAS Total variaram em função das síndromes na esquizofrenia, com as pontuações superiores a ocorrerem em doentes com esquizofrenia tipo II. Conclusão: Em mulheres institucionalizadas com Esquizofrenia, o Eu Inadequado está correlacionado positivamente com a vergonha externa. Além disso, os sintomas psicopatológicos (Sensibilidade Interpessoal, Depressão, Psicoticismo e IGS) estão relacionados com ambas as formas de autocrítica e de vergonha externa. A forma de autocrítica Eu Inadequado medeia a relação entre a vergonha externa e os sintomas psicopatológicos (Depressão e IGS). || Purpose: To verify which sociodemographic variables (age, marital status and education) and clinical variables (years of hospitalization, syndromes in schizophrenia and disease state) influence psychopathological symptoms, autocriticism and external shame; To explore the relationship between external shame, forms of self-criticism and psychopathological symptoms, in a sample with a diagnosis of schizophrenia and to verify whether self-criticism, especially the Hated Self and the Inadequate Self, mediate the relationship between psychopathological symptoms and external shame. Method: A total of 41 institutionalized women with a diagnosis of schizophrenia, with a mean age of 54.10 years (SD = 11.12), from the Bento Menni Health House and the Rainha Santa Isabel Health House were evaluated through Mini International Neuropsychiatric Interview, Brief Symptom Inventory, Forms of Self-Criticizing/Attacking and Self-Reassuring Scale and the Other as Shamer Scale. Results: In the psychopathological symptoms, only Depression, Paranoid Ideation and Global Severity Index (GSI) varied according to the years of hospitalization, with the highest scores occurring between 6 and 10 years of hospitalization. Interpersonal Sensitivity varied according to the syndromes in schizophrenia, with patients with type II schizophrenia having higher scores. In self-criticism only the Reassured Self varied according to the years of hospitalization, with the highest scores occurring between 11 and 40 years of hospitalization. In the external shame only the Inferiority and Emptiness subscales and Total OAS varied according to syndromes in schizophrenia, with the highest scores occurring in patients with type II schizophrenia. Conclusion: In women institutionalized with Schizophrenia, the Inadequate Self is positively correlated with external shame. In addition, the psychopathological symptoms (Interpersonal Sensitivity, Depression, Psychoticism and GSI) are related to both forms of self-criticism and external shame. The Inadequate Self mediates the relationship between external shame and psychopathological symptoms (Depression and GSI).
URI: http://repositorio.ismt.pt/handle/123456789/790
Aparece nas colecções:Dissertações de Mestrado Psicologia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Carla Sério.pdf1.52 MBAdobe PDFVer/Abrir    Request a copy


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.