Utilize este identificador para referenciar este registo: http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/865
Título: Estudo da Relação do Comportamento, Autoconceito e Vinculação nas Crianças e Jovens Institucionalizados
Autores: Amador, Laura de Jesus Correia
Lemos, Laura (Orientadora)
Palavras-chave: Comportamento - Behavior
Autoconceito - Self-concept
Vinculação - Attachment
Crianças e jovens institucionalizados - Institutionalized children and adolescents
Data: 2018
Editora: ISMT
Resumo: Introdução: A institucionalização pressupõe um corte, inexistência ou disfuncionalidade da relação com as figuras parentais. A vinculação aos pais constitui-se como um elemento essencial no desenvolvimento da saúde mental dos indivíduos e nos tipos de relações que vão estabelecer posteriormente com outros significativos. A investigação aponta que baixoautoconceito e problemas comportamentais com impacto no desempenho escolar e relacionamento interpessoal surgem associados a padrões de vinculação não seguros. Objetivo: Avaliar a relação das variáveis sociodemográficas com o comportamento, autoconceito e vinculação das crianças e jovens institucionalizados. Metodologia: Estudo exploratório conduzido numa amostra constituída por 32 jovens institucionalizados com idades entre os 9 e os 17 anos, (M = 14,56; DP = 2,21). Foram utilizados os seguintes instrumentos: ficha de recolha de dados sociodemográficos; Escala de Autoconceito Piers-Harris -Concept Scale 2; Inventário sobre a Vinculação na Adolescência e Inventário Child Behavior Checklist de Achenbach. Resultados: Verificou-se a existência de relações significativas entre a variável anos de institucionalização/figura materna alienação. Observou-se uma diferença no grau de comunicação entre os jovens e as mães em função da idade (M (9-15) = 19,50; M (16-17) = 13,50). Foi encontrado um elevado número de reprovações que se relacionou com problemas de comportamento, alienação aos amigos e falta de energia. O autoconceito relacionou-se quer com a vinculação materna quer com a vinculação aos amigos. Por outro lado, concluiu-se que quanto mais populares as crianças e jovens se sentiram, menor alienação aos amigos, mas também uma menor comunicação. Conclusão: A vinculação associou-se ao autoconceito, ao tempo de institucionalização e à idade salientando a importância da intervenção e reforço de vínculos com outros significativos desde idades precoces. Gostaríamos de realçar o elevado número de reprovações e a sua associação aos problemas de comportamento, alienação aos amigos e falta de energia, como aspetos centrais deste trabalho. A presente investigação procurou oferecer um contributo para o estudo dos padrões de vinculação das crianças e jovens institucionalizados, com o objetivo de avaliar o modo como organizam as suas experiências internas, a sua integração e significados e quais as estratégias comportamentais utilizadas, para uma melhor compreensão. / Introduction: Institutionalization is a cut, absent or dysfunctionality of the relationship with the parental figures. Parenting is an essential element in the development of individuals' mental health and in the relationships they will establish later with significant others. Research indicates that low-self-concept and behavioral problems with impact on school performance and interpersonal relationship are associated with unsafe bonding patterns. Objective: To evaluate the link between sociodemographic variables and behavior, selfconcept and attachment of institutionalized children. Methodology: An exploratory study conducted in a sample of 32 institutionalized youths aged 9 to 17 years (M = 14.56, SD = 2.21). The following instruments were used: socio-demographic data collection form; Piers-Harris Children's Self-Concept Scale 2 Self-Concept Scale; Inventory on Adolescent Bonding and Inventory Child Behavior Checklist from Achenbach. Results: There were significant relationships between the variable years of institutionalization- maternal figure - alienation. There was a difference in the degree of communication between the young and the mothers according to age (M (9-15) = 19.50, M (16-17) = 13.50). It was found a high number of disapprovals that was related to behavior problems, alienation to friends and lack of energy. Self-concept was related both to maternal attachment and to attachment to friends. On the other hand, it was concluded that the more popular the children and young people felt, the less alienation from friends, but also the less communication. Conclusion: Bonding was associated with self-concept, time of institutionalization and age emphasizing the importance of intervention and reinforcement of links with significant others from early ages. We would like to highlight the high number of disapprovals and their association with problems of behavior, alienation to friends and lack of energy, as central aspects of this work. The present investigation sought to contribute to the study of the bonding patterns of institutionalized children and young people, with the objective of evaluating the way in which they organize their internal experiences, their integration and meanings, and the behavioral strategies used, for a better understanding.
URI: http://repositorio.ismt.pt/handle/123456789/865
Aparece nas colecções:Dissertações de Mestrado Psicologia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
tese laura.pdf1 MBAdobe PDFThumbnail
Ver/Abrir
anexos.pdf755.32 kBAdobe PDFThumbnail
Ver/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.