-
Utilize este identificador para referenciar este registo: http://repositorio.ismt.pt/handle/123456789/921
Título: Estilos Educativos Parentais e Autocompaixão: a perceção dos pais
Autores: Gaspar, Rita Daniela Domingues
Marques, Mariana (Orientadora)
Castilho, Paula (Coorientadora)
Palavras-chave: Estilos educativos parentais - Parental educative standards
Autocompaixão - Self-compassion
Perceção - Perception
Sintomas depressivos - Depressive symptoms
Sintomas ansiosos - Anxiety symptoms
Data: 2014
Editora: ISMT
Resumo: Introdução: A literatura tem mostrado que níveis mais elevados de autocompaixão trazem benefícios na esfera pessoal e social do indivíduo. Adicionalmente, os estilos educativos parentais positivos parecem diminuir o risco de psicopatologia, o que parece interligar-se com níveis mais elevados de autocompaixão. São nossos objetivos avaliar, numa amostra de pais, a sua perceção sobre os seus estilos educativos parentais e seus níveis de autocompaixão, explorando eventuais associações entre estas variáveis. Não deixaremos de testar a associação entre estas variáveis e diferentes variáveis sociodemográficas. Em função dos resultados, análises preditivas explorarão que dimensões da autocompaixão e que variáveis sociodemográficas predizem os estilos educativos parentais (controlando sintomas depressivos, ansiosos e de stresse). Metodologia: A amostra é constituída por 114 sujeitos da população em geral cujo filho mais novo tem entre 6 e 20 anos, sendo constituída na sua maioria pelo sexo feminino (n = 82; 71,9%). A média de idades é 41,3 anos (DP = 6,29). Os sujeitos preencheram um questionário sociodemográfico, a SELFCS (escala da autocompaixão), o EMBU-P (Memórias de InfânciaPais) e a DASS-21 (Escala da ansiedade, stress e depressão). Resultados: Encontraram-se correlações entre as principais escalas: as dimensões calor_compreensão, condição humana e mindfulness correlacionaram-se positivamente com o suporte emocional. Já a sobreidentificação e o isolamento correlacionaram-se positivamente com a rejeição e a tentativa de controlo. Algumas variáveis sociodemográficas (e.g. a escolaridade) e as dimensões da autocompaixão (positivas/negativas) referidas foram preditoras da perceção que os pais têm dos estilos educativos parentais (suporte emocional vs. rejeição/tentativa de controlo). Conclusão: Pais com níveis mais elevados de autocompaixão (positiva) apresentam níveis mais elevados de suporte emocional e pais com níveis maiores em dimensões mais negativas de autocompaixão revelam níveis mais elevados de rejeição e de tentativa de controlo. Os dados sugerem crianças “bem-amadas” (que desenvolverão, então, níveis elevados de autocompaixão) se tornarão adultos “bem resolvidos” que, enquanto pais, apresentarão estilos educativos parentais “positivos”. As implicações, nomeadamente terapêuticas, são discutidas pela autora. / Introduction: Nowadays, psychology has been showing particular interest in self-compassion, concept which is, slowly, being introduced on the occidental culture. It’s believed that higher levels of self-compassion bring in benefits for the personal and social sphere of the individual, and it’s on this precise matter that this study is set. More and more literature has shown that positive parental educative standards decrease the risk of psychopathology and somehow that seems being related with higher levels of self-compassion. Hereby is pretended to identify, in a dimensional way, the parental educative standards by the parents when there are higher or lower levels of self-compassion. Methodology: The experimentation is composed by 114 individuals from the general population whose youngest child is between 6 and 20 years old, being the majority made up by the female genre (n = 82; 71,9%). The age’s average is 41,3 years old (ST = 6,29) with a variation of 26 to 54 years old. The respondents were asked to fill an inquiry which was divided by a sociodemographic survey and the needed scales in order to formulate this study: SELFCS (self-compassion scale) EMBU-P (Childhood Memories) and DASS-21 (Anxiety, stress and depression scale). The inquiry was asked to fill through an informed consent. Results: Matching our study’s main goals, correlations were found between the main scales that were used. Dimensions such as comprehension heating, human condition and mindfulness showed positive correlations with the emotional support. Parents with a high level of comprehension heating, human condition and mindfulness are guessed to be parents who will show higher levels of emotional support. Despite these parents, the study revealed that parents who show high levels of over identity and loneliness come up with high levels of rejection and control attempt. Even though being this a cross sectional study, some sociodemographic varieties and the self-compassion dimensions (positive and negative) seem to predict the parents’ perception of the parental educative standards embraced to teach their children. Conclusion/discussion: Even though there are correlations between the main variables of our study, that shows a link between parental educative standards and self-compassion, suggesting that children who are dearly loved will become “well resolved” making this whole experience a cycle, we should have in mind that when adults, we have the ability of re-build childhood memories in accordance to our own personality and the perception that we have from each other.
URI: http://repositorio.ismt.pt/handle/123456789/921
Aparece nas colecções:Dissertações de Mestrado Psicologia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação_Rita Gaspar.pdf1.89 MBAdobe PDFVer/Abrir
Anexos_Rita Gaspar.pdf935.18 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.