-
Utilize este identificador para referenciar este registo: http://repositorio.ismt.pt/handle/123456789/943
Título: Estudo Exploratório da Relação entre Evitamento Experiencial, Stress e Engagement no Trabalho numa Amostra de Professores
Autores: Rebelo, Luís Carlos Fonseca
Galhardo, Ana (Orientadora)
Palavras-chave: Stress - Stress
Evitamento experiencial - Experiential avoidance
Engagement - Engagement
Regulação emocional - Emotional regulation
Professores - Teachers
Data: 2018
Editora: ISMT
Resumo: Introdução: Ser docente é uma das profissões mais importantes, tendo um papel muito relevante no processo educativo e no progresso dos alunos. Sendo uma profissão que vivencia emoções intensas diariamente, fornece uma justificação para o interesse e necessidade de avaliar estes profissionais a nível psicológico. Objetivos: O presente trabalho procurou explorar a existência de associações entre sintomas de stress, engagement profissional e o processo de regulação emocional de evitamento experiencial. Um outro objetivo prendeu-se com a exploração da existência de diferenças entre homens e mulheres e entre os professores dos diferentes níveis de ensino relativamente aos sintomas emocionais negativos, ao engagement profissional e ao evitamento experiencial. Método: A amostra foi constituída por 304 professores, 256 mulheres (84.2%) e 48 homens (15.8%), a lecionar em escolas públicas e privadas, que completaram online um questionário sociodemográfico e os seguintes instrumentos de autorresposta: as Escalas de Ansiedade, Depressão e Stress 21 (EADS-21), a Escala de Comprometimento face ao Trabalho (UWES) e o Questionário de Aceitação e Ação para Professores (TAAQ-PT). Resultados: As variáveis stress e evitamento experiencial mostraram uma associação positiva. Por sua vez o stress e o engagement apresentaram uma correlação negativa. A comparação em função do sexo não revelou existência de diferenças estatisticamente significativas em nenhuma variável (p > .05). Em relação ao stress verificaram-se diferenças estatisticamente significavas (F = 6.47; p = .002) entre os professores a lecionarem nos vários níveis de ensino. A realização de testes post hoc de Tukey, mostrou que os professores do 1º clico do ensino básico (M = 7.15; DP = 4.36) apresentaram valores mais elevados em relação aos seus pares do 2º e 3º ciclos (M = 5.56; DP = 4.10) e com os colegas que lecionam no ensino secundário (M = 4.88; DP = 4.26). Conclusão: Tendo em conta os resultados deste estudo, pode ser hipotetizado que quando os professores apresentam sintomas de stress e evidenciam inflexibilidade psicológica tal poderá diminuir o seu engagement profissional (dedicação, absorção e vigor). Assim, a consideração do evitamento experiencial como um processo de regulação emocional nesta profissão poderá ser útil em intervenções para a diminuição do stress, potenciando um maior envolvimento com no exercício da profissão. / Introduction: Be a teacher is one of the most important professions, having a very relevant role in the educational process and in the students’ development. Being a profession, that where intense emotions are experienced on a daily basis provides a rationale for the interest and need to address these professionals’ mental health. Objectives: The present study aimed to explore the existence of associations between stress symptoms, professional engagement and the process emotion regulation of experiential avoidance. Another objective was to explore the existence of differences between men and women and between teachers who teach different education levels regarding negative emotional symptoms, professional engagement and experiential avoidance. Method: The sample consisted of 304 teachers, 256 women (84.2%) and 48 men (15.8%), teaching in public and private schools, who completed online a sociodemographic survey and the following self-rerport instruments: Depression, Anxiety and Stress Scales (EADS-21), the Utrecht Work Engagement Scale (UWES) and the Teachers Acceptance and Action Questionnaire (TAAQ-PT). Results: The stress and experiential avoidance variables showed a positive association. In turn, stress and engagement presented a negative correlation. Comparisons according to sex did not reveal statistically significant differences in any variable (p > .05). Concerning stress, there were statistically significant differences (F = 6.47; p = .002) among the teachers who taught at different education levels. Tukey's post hoc tests showed that teachers in the 1st grade of primary education (M = 7.15; SD = 4.36) had higher values than their 2nd and 3rd cycle colleagues (M = 5.56; SD = 4.10) and then colleagues who teach in secondary education (M = 4.88; SD = 4.26). Conclusion: Considering this study results, it may be hypothesized that when teachers show symptoms of stress and show psychological inflexibility this may decrease their professional engagement (dedication, absorption and vigor). Thus, targeting experiential avoidance as an emotional regulation process in interventions to reduce teachers’ stress, fostering greater involvement in the profession practice may be useful.
URI: http://repositorio.ismt.pt/handle/123456789/943
Aparece nas colecções:Dissertações de Mestrado Psicologia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação_Luis Rebelo_2018.pdf210.57 kBAdobe PDFVer/Abrir
Apendices.pdf580.79 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.