-
Utilize este identificador para referenciar este registo: http://repositorio.ismt.pt/handle/123456789/594
Título: Solidão e Depressão: perspetiva temporal
Autores: Vieira, Célia Sofia Pereira
Macedo, Esmeralda (Orientadora)
Palavras-chave: Solidão - Loneliness
Depressão - Depression
Perspetiva temporal - Temporal perspective
Sentimento - Feeling
Data: 2015
Editora: ISMT
Resumo: O presente estudo, propõe-se explorar a relação entre os constructos de solidão e depressão, contribuindo para esclarecer em que medida a primeira pode ser considerada uma entidade diagnóstica separada da depressão ou pelo contrário, apenas percebida na relação com a mesma. Pretendeu-se averiguar se existem indivíduos sem depressão que apresentem significativos níveis de solidão. Nesta análise privilegiamos, ainda, a perspetiva temporal, pretendemos verificar se há diferenças significativas na evolução do sentimento de solidão, após o período intervalar de três meses. Participaram, neste estudo, uma amostra de 60 indivíduos com idades compreendidas entre os 40 e os 86 anos, sendo a média aproximada de 52 anos. Os instrumentos utilizados para recolher os dados foram um breve Questionário Sociodemográfico; a adaptação portuguesa da Escala de Solidão da UCLA e a Escala Geriátrica de Depressão (GDS). Os dados foram submetidos a análise pelos princípios da estatística paramétrica. Neste estudo a fidedignidade global demonstrou ser elevada sendo o valor de Alpha Cronbach’s de 0,939.A hipótese central foi confirmada constatando-se que, apesar de existir uma associação estatisticamente significativa entre a solidão e a depressão, existem indivíduos sem depressão que apresentam elevados níveis de solidão (p>0,001). Não se verificou uma relação de prevalência da solidão no género feminino e a mesma foi maior em grupos etários mais elevados, no entanto, essa diferença não se revelou estatisticamente significativa. Recorrendo aos testes do qui-quadrado da independência; de concordância Kappa de cohen e ao teste t de student, concluiu-se que existe uma associação significativa de concordância moderada entre a solidão, ao longo do tempo. Esta conclusão reforça a análise da manutenção dos níveis de solidão quando não existe intervenção terapêutica específica. / This study aims to explore the relationship between the constructs of loneliness and depression, helping to clarify how far the former can be considered a separate diagnostic entity of depression or on the contrary, only perceived in relation to the same. We sought to determine whether there are individuals without depression who present significant levels of loneliness. In this analysis we also focus on the temporal perspective. We plan to check for statistically significant differences in the evolution of the feeling of loneliness after a three month period. A sample of 60 individuals aged between 40 and 86, with an average age of approximately 52, participated in this study. The instruments used to collect the data were a brief Sociodemographic Questionnaire, the Portuguese adaptation of the UCLA Loneliness Scale and the Geriatric Depression Scale (GDS). The data were subjected to an analysis based on the principles of parametric statistics. In this study the overall reliability proved to be high, Cronbach's alpha value being 0,939. A central hypothesis was confirmed verifying that, although there is a statistically significant association between loneliness and depression, there are individuals without depression presenting high levels of loneliness (p <0.001). There was no ratio of loneliness prevaling in females and the same was higher in older age groups, but this difference did not prove to be statistically significant. Using Cohen’s Kappa chi-square independance and agreement tests; and the Student t test, we concluded that there is a significant association of a moderate correlation in loneliness over time. This reinforces the analysis that loneliness levels are maintained when there is no specific therapeutic intervention.
URI: http://repositorio.ismt.pt/handle/123456789/594
Aparece nas colecções:Dissertações de Mestrado Psicologia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Anexos - Dissertação final - Célia Vieira.pdf304.49 kBAdobe PDFVer/Abrir
Dissertação final - Solidão e depressão, perspetiva temporal - Célia Vieira.pdf981.23 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.